Segunda-feira, 28 de Julho de 2008

O Anjo

 
Ela deu um pulo assim que viu o cirurgião sair da sala de operações e perguntou:
- Como é que está o meu menino? Ele vai ficar bom? Quando é que eu posso vê-lo?
E o cirurgião disse:
- Tenho pena. Nós fizemos tudo mas o seu filho não resistiu.
A Sally perguntou:
- Qual é a razão porque as crianças pequenas têm cancro? Será que Deus não se preocupa? Onde estavas Tu, Deus, quando o meu filho necessitava?
O cirurgião perguntou:
- Queres algum tempo com o teu filho? Uma das enfermeiras irá sair dentro de alguns minutos antes dele ser transportado para a Universidade.
A Sally pediu à enfermeira para ficar com ela enquanto ela se despediu do seu filho e passou os seus dedos pelo cabelo ruivo do seu filho.
- Você quer um caracol de cabelo? - perguntou a enfermeira.
A Sally abanou a cabeça a dizer que sim, a enfermeira cortou o cabelo, colocou-o num saco de plástico e entregou-o a Sally.
A mãe disse:
- Foi a ideia do Jimmy para doar o seu corpo à Universidade. Ele disse que talvez pudesse ajudar outra pessoa. No início eu disse que não mas o Jimmy disse:
- Mãe, eu não vou necessitar do meu corpo depois de morrer. Talvez possa ajudar outro menino a ficar mais um dia com a sua mãe.
Ela continuou:
- O meu Jimmy tinha um coração de ouro, estava sempre a pensar nos outros! Sempre disposto a ajudar se ele pudesse.
Depois de ter passado ali a maior parte dos últimos 6 messes a Sally saiu do Hospital Children's Mercy pela última vez e colocou o saco com as coisas do seu filho no banco do carro ao lado dela.
A viagem para casa foi muito difícil, foi ainda mais difícil entrar na casa vazia.
Levou o saco com as coisas do Jimmy incluindo o cabelo para o quarto do seu filho.
Começou a colocar os carros e as outras coisas no quarto exactamente nos locais onde ele os teve sempre, deitou-se na cama dele, agarrou a almofada e chorou até que ficou a dormir.
Era quase meia noite quando acordou e ao lado dela estava uma carta.
A carta dizia:
"Querida Mãe,
Eu sei que vais ter muitas saudades minhas mas não pensas que eu vou esquecer-me de ti ou que eu vou deixar de te amar só porque eu não estou por perto para dizer que TE AMO.
Eu vou sempre amar-te, Mãe, ainda mais com a passagem de cada dia.
Um dia vamos estar juntos de novo. Mas até chegar esse dia se quiseres adoptar um menino para não ficares tão sozinha, está tudo bem comigo.
Ele pode ficar com o meu quarto e com as minhas coisas para brincar. Mas se decidires por uma menina, ela talvez não vá gostar das mesmas coisas que os rapazes gostam.
Vais ter que comprar bonecas e outras coisas que as meninas gostam, tu sabes!
Não fiques triste a pensar em mim. Este lugar é mesmo porreiro!
Os avós vieram ter comigo assim que eu cheguei para me mostrarem este lugar, mas vai demorar muito tempo para eu poder ver tudo.
Os anjos são mesmo fixes! Eu adoro vê-los a voar.
E sabes uma coisa? O Jesus não parece nada como se vê nas fotos embora quando O vi o reconheci logo. Ele levou-me a visitar Deus! E sabes uma coisa? Eu sentei-me no colo d'Ele e falei com Ele tal como se eu fosse uma pessoa importante. Isso foi quando eu lhe disse que queria escrever esta carta para ti, para te dizer adeus e tudo mais.
Mas eu já sabia que não era permitido!
Mas sabes uma coisa, Mãe? Deus entregou um papel e a sua caneta pessoal para eu poder escrever esta carta para ti.
Eu acho que Gabriel é o anjo que te vai entregar esta carta.
Deus disse para eu responder a uma das perguntas que tu Lhe fizeste "onde estava Ele quando eu mais precisava?"
Deus disse que estava no mesmo sítio, tal qual quando o filho dele, Jesus, foi crucificado.
Ele estava presente, tal qual como está com todos os filhos dele.
Mãe, só tu é que consegues ver o que eu escrevi, mais ninguém.
As outras pessoas vêem este papel em branco. É mesmo fixe não é?
Eu tenho que dar a caneta de volta a Deus para ele poder continuar a escrever no seu Livro da Vida.
Esta noite vou jantar na mesma mesa com Jesus. Tenho a certeza que a comida vai ser boa.
Eu estava quase a esquecer-me, já não tenho dores, o cancro já se foi embora! Ainda bem porque já não podia mais e Deus também não podia ver-me assim.
Isto foi quando Ele enviou o Anjo da Misericórdia para me vir buscar. O anjo disse que eu era uma encomenda especial! O que dizes a isto?"
Assinado com o Amor de Deus, de Jesus e de Mim.
 
 
Vamos ver se Satanás consegue parar esta carta.
publicado por escrevinhando às 11:58
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 24 de Julho de 2008

 

Se não puderes ser um pinheiro, no topo de uma colina,
Sê um arbusto no vale mas sê
O melhor arbusto à margem do regato.
Sê um ramo, se não puderes ser uma árvore.
Se não puderes ser um ramo, sê um pouco de relva
E dá alegria a algum caminho.

Se não puderes ser uma estrada,
Sê apenas uma senda,
Se não puderes ser o Sol, sê uma estrela.
Não é pelo tamanho que terás êxito ou fracasso...
Mas sê o melhor no que quer que sejas.
 

Pablo Neruda

publicado por escrevinhando às 22:28
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Segunda-feira, 14 de Julho de 2008

MÃE, EU QUERO IR-ME EMBORA

 

 

 

Mãe, eu quero ir-me embora – a vida não é nada
daquilo que disseste quando os meus seios começaram
a crescer. O amor foi tão parco, a solidão tão grande,
murcharam tão depressa as rosas que me deram –
se é que me deram flores, já não tenho a certeza, mas tu
deves lembrar-te porque disseste que isso ia acontecer.


Mãe, eu quero ir-me embora – os meus sonhos estão
cheios de pedras e de terra; e, quando fecho os olhos,
só vejo uns olhos parados no meu rosto e nada mais
que a escuridão por cima. Ainda por cima, matei todos
os sonhos que tiveste para mim – tenho a casa vazia,
deitei-me com mais homens do que aqueles que amei
e o que amei de verdade nunca acordou comigo.


Mãe, eu quero ir-me embora – nenhum sorriso abre
caminho no meu rosto e os beijos azedam na minha boca.
Tu sabes que não gosto de deixar-te sozinha, mas desta vez
não chames pelo meu nome, não me peças que fique –
as lágrimas impedem-me de caminhar e eu tenho de ir-me
embora, tu sabes, a tinta com que escrevo é o sangue
de uma ferida que se foi encostando ao meu peito como
uma cama se afeiçoa a um corpo que vai vendo crescer.


Mãe, eu vou-me embora – esperei a vida inteira por quem
nunca me amou e perdi tudo, até o medo de morrer. A esta
hora as ruas estão desertas e as janelas convidam à viagem.
Para ficar, bastava-me uma voz que me chamasse, mas
essa voz, tu sabes, não é a tua – a última canção sobre
o meu corpo já foi há muito tempo e desde então os dias
foram sempre tão compridos, e o amor tão parco, e a solidão
tão grande, e as rosas que disseste um dia que chegariam
virão já amanhã, mas desta vez, tu sabes, não as verei murchar.

Maria do Rosário Pedreira
In "O Canto do Vento nos Ciprestes"

publicado por escrevinhando às 01:42
link do post | comentar | favorito
Domingo, 13 de Julho de 2008

Verdades Inquestionáveis

 

 
«Os políticos e as fraldas

devem ser mudados frequentemente

e pela mesma razão.» 

 Eça de Queiroz

publicado por escrevinhando às 22:44
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 2 de Julho de 2008

Vaso Chinês

 


 Uma velha senhora chinesa possuía dois grandes vasos, cada um suspenso na
extremidade de uma vara que ela carregava nas costas.
 
Um dos vasos era rachado e o outro era perfeito. Este último estava sempre
cheio de água ao fim da longa caminhada da torrente até a casa, enquanto
aquele rachado chegava meio vazio.
 
Por longo tempo a coisa foi em frente assim, com a senhora que chegava em
casa com somente um vaso e meio de água.
 
Naturalmente o vaso perfeito era muito orgulhoso do próprio resultado e o
pobre vaso rachado tinha vergonha do seu defeito, de conseguir fazer só a
metade daquilo que deveria fazer.
 
Depois de dois anos, reflectindo sobre a própria amarga derrota de ser
"rachado",o vaso falou com a senhora durante o caminho:
-"Tenho vergonha de mim mesmo, porque esta rachadura que eu tenho me faz perder metade da água durante o
caminho até a sua casa..."
 
A velhinha sorriu:
-"Você reparou que lindas flores tem somente do teu lado do caminho? Eu
sempre soube do teu defeito e portanto plantei sementes de flores na beira da
estrada do teu lado. E todo dia, enquanto a gente voltava, tu as regavas.
 
Por dois anos pude recolher aquelas belíssimas flores para enfeitar a mesa.
Se tu não fosses como és, eu não teria tido aquelas maravilhas na minha casa."
 
-------------------------------------------------------------------------------------------

Cada um de nós tem os seus próprios defeitos. Mas o defeito que cada um de
nós tem, é que faz com que nossa convivência seja interessante e gratificante.
É preciso aceitar cada um pelo que é... E descobrir o que tem de bom nele.
Portanto, meu "defeituoso" amigo, tenha um bom dia e lembre de regar as
flores do seu lado do caminho... e envie este e-mail a algum (ou a todos) os seus
"defeituosos" amigos. Sem esquecer que é "defeituoso" também quem a mandou
a você!
publicado por escrevinhando às 11:13
link do post | comentar | favorito

Nietzsche

 

"Este ódio de tudo o que é humano,

de tudo o que é 'animal'

e mais ainda

de tudo que é 'matéria',

este horror dos sentidos (...)

tudo isso significa (...)

vontade de aniquilamento, hostilidade à vida,

recusa em se admitir
as condições fundamentais da própria vida".

 

publicado por escrevinhando às 11:10
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


.posts recentes

. Você Já Amou Tanto Assim!

. Verdades Inconvenientes

. Magos e Anjos, a Verdade ...

. Sabedoria de um Mestre

. Recordar é Viver

. Jesus....

. Poema de Ano Novo

. O que fará sentido, afina...

. O Pedreiro

. O Verdadeiro Sentido da V...

.arquivos

. Março 2010

. Novembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Janeiro 2009

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds